sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O tão temido vestibular.

Final de ano se aproximando, ENEM e provas de vestibular também. Todos que já passaram por essa fase se sentem aliviados, os que estão passando ou vão passar nos próximos anos, se sentem com medo e, algumas vezes, cheios de dúvidas.


Mesmo que pareça, o vestibular não é um bicho de sete cabeças. Para algumas pessoas é mais difícil, para outras nem tanto. Tudo depende. Depende do curso que você quer, da universidade, de como sua cabeça está no dia da prova. Não adianta ir fazer a prova nervoso (a), com aquele pensamento negativo de “eu não vou passar”, não! Por mais complicado que possa parecer, manter a calma é essencial.

Claro que tudo isso não se resume a apenas um dia. Escolher o curso é algo que deve ser pensado com muita, muita paciência. Afinal, será sua carreira, seu futuro profissional, então é bom pensar bastante, ver os prós e contras de cada curso, e ver com qual se identifica mais. Escolher algum curso por pressão da família, porque ganha mais, não é sinônimo de sucesso profissional. Uma pessoa que não suporta sangue faz Medicina apenas para agradar a família, ou então alguém que não entende nada de matemática faz Engenharia porque tem um salário bom... Não é bem assim que funciona.

Muitas pessoas começam a faculdade fazendo tal curso, depois de um semestre (ou mais) não se identificam e trancam. Então param tudo, pensam bem, botam os prós e contras na balança outra vez - e até conversam com psicólogos às vezes - e, finalmente, encontram o rumo certo. O que eu quero dizer com isso? Que nem sempre acertamos. Podemos pensar que tal profissão é exatamente o que queremos, mas com o passar do tempo, vemos como tudo realmente é, e não nos identificamos mais. É um direito nosso.

Então, se você estiver em dúvida sobre qual profissão escolher, antes de tudo, pense bem; converse com profissionais dessas áreas em que está em dúvida, converse com sua família e amigos. E se preciso for, converse com um psicólogo, pode ajudar bastante. No mais, boa sorte e seja feliz com sua escolha!

Créditos da foto: Weheartit.com

4 comentários:

  1. A pior parte dessa coisa toda é, sem dúvida, a pressão. Decidir o que quer na vida não é nada simples, mas nem a sociedade nem a família costumam aceitar isso. Querem que você entre logo em uma faculdade. Justo no momento em que você mais precisa de apoios e conselhos.

    Foi meio o que aconteceu comigo, Passei dois anos tentando vestibulares e penasndo no que fazer da vida, até que por pressão fiz jornalismo mesmo numa faculdade mais fácil de entrar. Me formei e, sinceramente, ainda estou pensando no que fazer da vida.

    Jocee tem razão. Ficar nervoso é normal, mas fazer a prova nervoso só atrapalha seu desempenho. Tomar decisões por pressão também. O negócio é entender seu próprio tempo de fazer as coisas. Se não passar na prova, paciência, tenta de novo ano que vem. Estude, se prepare melhor. Não é o fim do mundo, jamais.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, Jeff!
    Lembro que, quando eu queria fazer música (isso ainda no ensino médio), todo mundo me olhava e dizia 'para de besteira, música não dá dinheiro, faz algo útil', e eu me sentia um lixo porque ninguém me entendia.

    Então quando decidi fazer Biomedicina, minha família aceitou, mas uns conhecidos perguntaram 'por que tu não faz Medicina? Dá mais dinheiro' mas porra, eu não quero ser médica. Para as pessoas, criticar é muito fácil, mas quando chega a vez delas, elas veem o quanto é chato alguém dizendo o que é melhor pra ti...

    Obrigada pelo comentário!

    ResponderExcluir
  3. é sempre bom, para e pensar. Eu fiz isso (nessa mesma época, ano passado) e hoje sei o que quero, mas eu ainda me pergunto se vale mesmo a pena!

    bom post Jocee!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Alan!

    Ah, é normal a gente se questionar se vale a pena, principalmente quando passamos por alguns obstáculos... Mas no final, tudo vai fazer sentido.

    ResponderExcluir