segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O preço de uma vida


Mais de 230 pessoas perderam a vida em Santa Maria (RS), na madrugada do dia 27 de janeiro. Em sua grande maioria, universitários. Jovens que estavam começando a vida. Jovens que estavam começando a faculdade, jovens que estavam a alguns meses da formatura, com os preparativos quase prontos... Sonhos que se perderam em minutos.



Nunca tinha me abalado ao saber de tragédias, mas dessa vez foi impossível não sentir uma dor no coração quando soube. Poderia ser comigo ou algum parente/amigo. Graças a Deus, não conhecia nenhuma daquelas pessoas. Mas amigos meus conheciam, e compartilhei com eles a tristeza.

O estado inteiro sentiu a dor, mais do que nunca fomos companheiros, abraçamos e sofremos juntos, mesmo sem conhecer. Sábia atitude de cancelarem eventos, como o Campeonato Gaúcho, Planeta Atlântida, entre outros. Não há - e não haverá, por algum tempo - nenhum clima para festas e comemorações.

E mesmo assim, ainda tem gente sem coração nem escrúpulos, que fez piada com a dor alheia. Acho que esse tipo de gente nunca passou pela dor que é perder alguém de sua convivência, ainda mais de uma maneira tão inesperada. Não desejo que aconteça, mas eles aprenderiam a não rir do sofrimento dos outros.

A vida jamais será a mesma para os familiares e amigos dessas pessoas, infelizmente não é possível voltar no tempo e mudar o que aconteceu, mas como na maioria das vezes, é preciso acontecer algo dessa proporção, para que medidas sejam tomadas e evitar novos desastres. E eu realmente espero que os governantes, donos de casas noturnas e afins tomem as providências necessárias.

Às família enlutadas: Eu realmente sinto muito e desejo que todas as vítimas descansem em paz.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Resoluções de um Ano Novo

Começar a academia - e continuar, ler mais livros, ser mais paciente... Essas e várias resoluções de ano novo aparecem a cada janeiro - desaparecendo logo antes do início de março. Conversa fiada. Em vez de fazer resoluções, planos e projetos que vocês sabem que não vão cumprir, por que não fazer algo que torne seu ano realmente importante?



Não me refiro a fazer algo grandioso, pequenas ações também contam. Mas não adianta fazer alguma coisa esperando algo em troca. Você precisa querer mudar, querer que essa mudança signifique algo na sua vida.

Nunca fiz resoluções a cada virada de ano. Não preciso me programar para algo que não sei como será. Cada dia é diferente, e um segundo pode ser decisivo. Como dizem por aí: “Ninguém sabe o dia de amanhã”, então, para quê fazer planos se não temos certeza do que vai acontecer?

Pensando bem, tenho uma resolução para 2013 (e para todos os próximos anos): Viver, apenas. Deixar que a vida tome seu rumo sem me programar, fazer as coisas que acho certo, e tentar ao máximo, ser feliz. Sem clichês, sem frases feitas. E um feliz 2013 para todos!