sexta-feira, 27 de junho de 2014

A Sacudidora de Palavras




Liesel Meminger não teve uma vida fácil. Em um período de cinco anos, encarou a Morte três vezes, e saiu ilesa em todas as ocasiões. Sua história é tão impressionante, que a própria Morte resolveu contá-la.
Após ver o irmão morrer no colo da mãe e ser adotada por Rosa e Hans Hubermann, indo morar em uma cidade pobre chamada Molching, Alemanha, Liesel levou consigo o primeiro livro que roubara – O Manual do Coveiro.
Ao lado de seu melhor amigo, Rudy Steiner, “A Menina Que Roubava Livros” passou por momentos difíceis na Alemanha Hitlerista, desde o refúgio ao judeu Max Vandenburg, o qual se tornou uma peça importante na história de Liesel, à relação (que talvez pudesse ser chamada de amizade) com a mulher do prefeito e os roubos de livros em sua biblioteca.
Sem dúvida, Liesel Meminger foi uma vitoriosa por sobreviver a tantas situações que nenhum adolescente sonharia em viver. A história de “A Menina Que Roubava Livros” não sacode apenas as palavras, mas também as pessoas que a leem.

(Resenha feita para a disciplina de Comunicação e Expressão)

Nenhum comentário:

Postar um comentário